Jovem negra editando o currículo para estágio no celular e no notebook.
Categories:

Currículo para estágio: alcance a vaga dos sonhos

Sentir dificuldades na hora de elaborar um currículo para estágio é normal. Principalmente, quando os candidatos possuem pouca experiência ou estão saindo do ambiente acadêmico. 

Normalmente, as universidades não possuem matérias direcionadas para o mercado de trabalho. E os professores não têm o hábito de ensinar aos alunos como fazer currículos ou se inscrever em processos seletivos.

Mas não precisa se preocupar: nós vamos te ajudar nessa etapa tão importante que é a procura por estágios.

No índice abaixo você encontra todas as etapas para garantir o seu sucesso. E ainda pode baixar o nosso modelo de currículo gratuito!

Índice

  1. Lattes ou vitae: qual é o melhor?
  2. Curriculum ou currículo: qual o jeito certo?
  3. 7 dicas infalíveis para o currículo de estágio
  4. E a formatação, como deve ser?
  5. Passo a passo: faça o melhor currículo para estágio
  6. A carta de apresentação é necessária?
Jovem negro pensando sobre currículo para estágio em frente ao notebook.

Lattes ou vitae: qual é a melhor opção de um currículo para estágio?

Antes de começar a fazer o currículo, não devem restar dúvidas sobre este tópico. Então, leia atentamente a explicação!

A principal diferença entre lattes ou vitae está no objetivo. Se a sua ideia é ser estagiário em uma empresa: foque no curriculum vitae. Nele, as experiências profissionais – mesmo que até o momento sejam poucas – serão vistas com maior ênfase. 

Já se ser professor é sua ambição, atente-se mais para o currículo lattes. Uma vez que ele é voltado para as vivências acadêmicas. Por exemplo, projetos de extensão, pesquisas científicas e especializações.

E se você quer estar no mercado enquanto atua como acadêmico, vale a pena ter ambos. Neste artigo, vamos te ensinar a fazer o seu CV. Mas se quer aprender como criar o seu lattes na plataforma do CNPq, confira o nosso tutorial

Curriculum ou currículo para estágio: qual o jeito certo de escrever?

Depende! Quando estiver falando do documento profissional, use curriculum vitae. E como a palavra está em latim, procure escrevê-la em itálico. Já se estiver se referindo ao acadêmico, a expressão currículo lattes é a correta. 

E atenção para não misturar as duas opções, ok? Por exemplo, “currículo vitae” não existe. A palavra “currículo” foi uma maneira brasileira de aportuguesar o termo em latim, por isso elas não devem ser confundidas.  

7 dicas infalíveis para o currículo de estágio

Não fique estagnado na hora de escrever o currículo, veja aqui as nossas sete dicas para se destacar e alcançar a vaga que tanto sonha! É só continuar lendo este texto.

#1 Foto: colocar ou não?

A empresa te pediu uma fotografia? Se não, não se preocupe: a foto não é obrigatória em processos seletivos. Inclusive, em países europeus como a Inglaterra, é praticada a ideia de currículo cego, ou seja, aquele que não possui uma imagem do candidato. 

Mas, se eles pediram que você apareça no documento, busque inserir uma imagem em fundo branco e com postura profissional. Evite fotos em passeios, viagens ou com filtros e efeitos que não estejam de acordo com aquele posto. 

#2 Use um e-mail profissional

“O meu e-mail faz diferença?” Por exemplo, se ele foi feito durante a adolescência e contém apelidos, é importante que você crie um novo para processos seletivos. Isso porque, mesmo que seja um pequeno detalhe, as chances diminuem quando o recrutador vê o nome de usuário pouco formal.

E lembre-se de checar a caixa de entrada com frequência. Assim, você se mostra solícito e responde os avaliadores com rapidez. Uma dica é: coloque notificações no celular para quando receber e-mails de processos seletivos. 

#3 Participe de atividades extracurriculares

Para se destacar dos concorrentes, é importante que você busque participar de atividades. Sejam projetos de extensão, grupos de pesquisa, organização e presença em eventos acadêmicos ou voluntariados, tudo isso conta.

Então, escolha aquelas oportunidades que estão mais relacionadas às suas áreas de interesse e se mantenha ativo!

Quatro pessoas reunidas em uma mesa de trabalho.

#4 Busque cursos online

Se você vive em cidades com poucas oportunidades de especialização além da universidade, os cursos online são uma excelente opção para se qualificar!

Sites como o Udemy, a FGV e o SEBRAE disponibilizam cursos gratuitos e pagos, em diversas áreas de conhecimento. Pesquise aqueles mais afins à sua carreira profissional e invista tempo nisso. 

#5 Considere fazer um portfólio virtual

Quem estuda em áreas como Jornalismo, Publicidade, Teatro e Artes Visuais deve ter em mente que um portfólio profissional online é super importante! Há diversas vagas em que os recrutadores pedirão, além do CV e do LinkedIn, um link com os seus trabalhos. 

Pesquise modelos de acordo com aquilo que quer mostrar – vídeos, fotos, artes gráficas ou projetos dinâmicos – e comece a fazer o seu agora mesmo!

#6 Foque nas palavras-chave

E o que seriam essas palavras-chave? Bom, na hora de ler editais de seleção, você já deve ter percebido maior ênfase em certas habilidades para as vagas que procura: são os pré-requisitos.

Além deles, o nome do cargo e a cultura da empresa também pregam alguns termos com mais força. 

Por exemplo: se você está concorrendo a um cargo de assistente de campanha eleitoral e pedem que você tenha experiência em redes sociais e assessoria de imprensa, tente repetir esses termos ao longo do CV.

Monte o currículo a fim de enfatizar a sua trajetória na área e suas habilidades que se aproximam aos pré-requisitos. 

#7 Saiba quais são os seus soft e hard skills

Soft e hard skills são expressões em inglês para as habilidades pessoais e técnicas, respectivamente. Por isso, pense bem sobre as suas qualidades antes de inserir no currículo. 

Abaixo deixamos alguns exemplos de skills que os setores de RH procuram nos candidatos, confira:

Soft skills

  • Adaptabilidade
  • Colaboração
  • Criatividade
  • Flexibilidade
  • Gestão de conflitos
  • Gestão de tempo
  • Liderança
  • Receptividade a feedback

Hard skills

  • Análise de informação
  • Computação
  • Comunicação técnica
  • Desenvolvimento web
  • Design
  • Gestão de redes sociais
  • Gestão de projetos
  • Marketing digital
  • Programação
  • Tradução

E a formatação do currículo para estágio, como deve ser? 

Jovem digitando em notebook. Imagem ilustrativa sobre currículo para estágio.

A formatação é uma etapa super importante na hora de fazer o CV. Afinal, quando candidatos enviam currículos com letras em tamanhos diferentes, textos em vários alinhamentos ou erros de digitação e português, suas chances diminuem.

Veja algumas indicações da equipe da Candidato:

  • Estilos de fontes: Arial ou Times New Roman
  • Tamanho da fonte: 11
  • Espaçamento entre linhas: 1,5
  • Margens: 1,5 cm
  • Extra: insira divisões entre as seções

Enfim, na hora de salvar, a melhor opção é o formato PDF porque ele mantém a estrutura como você escolheu. Já em Word, existe o risco do documento ser desconfigurado de acordo com a versão que os recrutadores tiverem. 

Passo a passo: faça o melhor currículo para estágio

Agora sim, comecemos o passo a passo. Descubra como organizar cada seção do seu currículo e garantir a vaga dos sonhos. Siga a leitura!

Mesmo que os currículos sejam documentos mais padronizados quanto a informações, é importante fazer um modelo para cada fase da sua carreira. Isso porque em cada momento você terá diferentes vivências e habilidades para agregar. 

Por onde começar?

Como é provável que você não possua muitas experiências, o importante é ser coerente e objetivo. Estruture a sua trajetória como se estivesse contando a sua história profissional até ali. 

Dê destaque para cargos que fizeram você crescer. Por exemplo, diretor executivo do movimento estudantil, ou vice-diretor de gestão em uma empresa júnior. Essas atividades extracurriculares contam!

A intenção é tornar o CV atrativo o suficiente para que o setor de Relações Humanas te chame para a entrevista. Mostre como você soube enfrentar desafios, conseguindo bons resultados.

E se o seu objetivo é sair do país e trabalhar em multinacionais, invista um pouco do seu tempo em fazer um currículo em inglês.

Dados pessoais

Aqui você irá colocar nome e sobrenome, endereço, e-mail, telefone/Whatsapp e, se já possuir, o perfil do LinkedIn. Lembrando de checar a caixa de e-mail constantemente e de manter todos os detalhes atualizados.

Objetivos

A gente sabe que essa etapa pode ser desafiadora, mas não precisa se desesperar. Ela não é tão difícil quanto parece. Veja por quê!

Nesta seção está uma boa oportunidade de se destacar. Sendo assim, busque adaptá-la para cada vaga. Isto é, direcionando o objetivo de acordo com os pré-requisitos e os seus interesses. 

Um exemplo: em vez de escrever “Tenho preferência pelo em marketing”, coloque “Tenho grande interesse em trabalhar com marketing de conteúdo para blogs especializados”. Isso direciona o seu currículo para os processos que realmente são afins com o que você quer trabalhar e aprender

Formações 

Já nesta etapa, além de inserir as experiências no ensino formal, inclua certificações de cursos livres e qualificações que estejam relacionadas ao cargo que está concorrendo. 

Intercâmbios, cursos técnicos, workshops e diplomados são alguns dos tipos de formações que podem ser incluídas. Logo, selecione o que for mais interessante pensando na vaga! Quais opções podem mostrar que você é o melhor candidato?

Depois de selecionar as melhores, coloque elas em ordem cronológica inversa, ou seja, as certificações mais atuais antes:

  • Nome da instituição
  • Localização da instituição
  • Mês/Ano/Conclusão

Por exemplo:

  • Graduação em Publicidade e Propaganda

Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – 2017 (em curso)

  • Mobilidade Acadêmica em Relações Públicas   

Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre – Agosto a Dezembro 2018

  • Fundamentos do Marketing Digital

The Open University/Google – 60h

Experiências

No CV de alguém que já está no mercado há um certo tempo, esta seção seria aquela em que a pessoa coloca o histórico profissional: cargos que ocupou ao longo da carreira. Mas, como você está em busca de estágio, foque nas suas demais experiências!

Trabalhos como freelancer, voluntariados em ONGs e participação em movimentos estudantis e empresas juniores ou organizações de eventos são exemplos de vivências que podem ser inseridas. 

E se você realizou projetos na universidade, como extensão, iniciação científica ou grupos de estudo, comente como eles te ajudaram a se desenvolver.

Aqui a ordem também é invertida. Insira as experiências mais recentes primeiro. Abaixo mostramos como elas devem ser ordenadas:

  • Nome da organização;
  • Cargo;
  • Data de início e término do contrato;
  • Escreva uma ou duas frases sobre suas responsabilidades e resultados, utilizando o método STAR.

Método STAR: como aplicar no currículo para estágio?

Homem apontando gráficos de crescimento em uma parede vermelha.

Para ser o Candidato de Sucesso, é importante organizar seu currículo com foco nos resultados. Para isso, pense na sigla “STAR”: Situação, Tarefa, Ações e Resultados, técnica do Na Prática. E mostre os desafios que enfrentou, como os superou e quais resultados foram obtidos a partir da sua atuação. 

  • Que situação/contexto eu encontrei quando cheguei ao cargo?
  • Quais eram as minhas tarefas? Eu consegui alcançar metas?
  • Que ações eu implementei para mudar aquela realidade? Com qual orçamento ou recursos?
  • Quais resultados eu obtive? E eu melhorei o que era feito antes?

Exemplo com o método STAR

Empresa Júnior

Trabalhando como Diretora de Qualidade na empresa júnior X, realizei a campanha “Dia das Mães Solidário” em que foram arrecadados mantimentos para 100 mães solo carentes da região mineira da Zona da Mata. 

Extras

Nessa parte do currículo, você adicionará vivências que foram importantes à sua formação, como prêmios, eventos que tenha organizado, trabalhos voluntários e experiências acadêmicas ou esportivas. 

E atenção, este tópico não é obrigatório, mas é uma boa forma de quem tem poucas experiências agregar valor ao currículo. Confira exemplos:

Voluntariado – ONG X – 2017/2019

Voluntário como diretor de Recursos Humanos. Recrutei 200 voluntários em dois anos através de campanhas em escolas e universidades da cidade.

Experiências Internacionais – Disney College Program – Junho/ Agosto 2019

Intercâmbio de trabalho realizado no Parque Disney de Orlando durante a temporada de verão estadunidense. Atuei na área de merchandise. 

Prêmios – 26º Prêmio Expocom – Setembro de 2019

Primeiro lugar nacional no prêmio do 43º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, em Salvador/BA.

Idiomas e Habilidades

Nesse tópico, você deve falar sobre o seu nível de conhecimento em línguas e as suas habilidades com diferentes ferramentas e noções de informática. 

É válido enfatizar que mentir em relação ao seu nível de proficiência não é uma opção. Uma vez que a empresa pode pedir comprovações ou testes orais em que você demonstre o domínio. E, caso não tenha, sua reputação será prejudicada. 

Idiomas

Os idiomas se dividem nos níveis básico, intermediário, avançado e fluente ou nativo. Então, se você tiver certificados de escolas de línguas ou de um exame internacional reconhecido, adicione esta informação. Por exemplo:

  • Alemão avançado – Goethe-Zertifikat C1 (pontuação X)/2019
  • Francês intermediário – Nível B2 no DELF/2020
  • Japonês básico – aluno(a) da Escola X desde 2018 

Habilidades

Já sobre o seu grau de desenvolvimento em ferramentas e programações, descreva qual o nível: básico, intermediário ou avançado. Como por exemplo:

  • Excel – Nível avançado
  • Kotlin – Nível avançado
  • Illustrator – Nível intermediário
  • Linux – Nível intermediário
  • InDesign – Nível básico

Referências

Para quem está procurando estágio, vaga de jovem aprendiz ou começando a carreira, este campo é super importante. Isso porque, é nele que você irá agregar contatos de pessoas que possam afirmar as suas capacidades profissionais. 

Coloque o contato de professores, ex-chefes ou orientadores da sua universidade com quem tenha tido um bom relacionamento e que estejam aptos a comentar sobre suas experiências passadas. 

Mas, lembre-se de pedir a autorização dessas pessoas antes de incluir os dados delas no currículo. 

  • Larissa Ferreira, professora de Análise de Públicos e Mercados Culturais na Universidade X

Telefone: (11) 1111-1111

E-mail: larissa@email.com

  • Júlia Sousa, diretor de marketing na empresa júnior X

Telefone: (22) 2222-2222

E-mail: julia@email.com

Carta de apresentação: para que serve?

Jovem escrevendo sua carta de apresentação.

Se você quer concorrer a vagas de estágio ou trainee, é importante saber como redigir uma boa carta de apresentação. Afinal, ela tem a função de complementar o currículo e fazer com que os recrutadores conheçam um pouco o perfil dos candidatos. 

A ideia é que você demonstre, a partir das suas habilidades, por que é a melhor opção para colaborar com a empresa naquela vaga. 

No entanto, lembramos que a carta não é um resumo do currículo, ela deve apresentar as informações que não couberam nele, mas que são importantes e agregam valor.

Organizando a carta de apresentação

Assim como o currículo, é importante adaptar a carta de apresentação para cada vaga e empresa que irá concorrer. Veja abaixo como deve ser a estrutura do documento e, a partir disso, adeque suas experiências para o formato do texto:

  1. Primeiro parágrafo: chame a atenção dos recrutadores para a sua trajetória;
  2. Segundo parágrafo: explique como você pode ajudar a empresa a crescer;
  3. Terceiro parágrafo: justifique por que você combina com aquela organização.

Antes de começar, saiba que as cartas motivacionais costumam ter entre de 150 a 500 palavras. E na hora de escrever, utilize a norma culta e seja formal.

Na introdução, insira as informações sobre quem você é, o que faz, onde estudou e por quais motivos tem interesse por aquele posto especificamente. Uma boa tática é relacionar as habilidades pessoais e profissionais com os requisitos pedidos.

Na sequência, faça a contextualização. Nessa parte você irá se dedicar ao marketing pessoal. Ou seja, se promova a partir das suas vivências: escreva por que aquela vaga deve ser sua e demonstre como os seus diferenciais podem contribuir para a empresa.  

Então, em seguida, destaque qual a sua motivação e por que aquele cargo te interessa. Diga como trabalhar na empresa, atuando naquele posto, pode te ajudar a crescer profissionalmente. 

Por fim, em relação ao tamanho, as cartas motivacionais costumam ter entre de 150 a 500 palavras. Logo, tente não ser muito breve nem muito extenso na escrita, dê ritmo à mensagem que quer passar e lembre-se de revisá-la antes de enviar!

Esperamos que, se você chegou até aqui, tenha percebido que fazer um currículo para estágio não é algo impossível. Siga as nossas dicas, o passo a passo e se destaque no processo seletivo. Temos certeza que, no final, você será o Candidato de Sucesso. Boa sorte!

One thought on “Currículo para estágio: alcance a vaga dos sonhos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *